Diversos

Louis Pasteur e o nascimento do processo de pasteurização de segurança alimentar

Louis Pasteur e o nascimento do processo de pasteurização de segurança alimentar

Louis Pasteur teve um efeito maior em sua vida do que você imagina. Ele não apenas criou o processo de preparação de alimentos agora conhecido como pasteurização, mas também fez descobertas no mundo das vacinas e ajudou a promover a teoria moderna dos germes.

Os primeiros estudos e a vida de Pasteur

Louis Pasteur nasceu em 1822 na região de Jura, na França. Enquanto crescia, ele era apenas um estudante mediano que se interessou por desenho e pintura, passando a ganhar o bacharelado em artes e o bacharelado em ciências no Royal College of Besancon. Após esses diplomas, ele também fez doutorado.

RELACIONADOS: 15 INVENÇÕES MÉDICAS E DESCOBERTAS DOS ANOS 1800

Após sua educação formal superior, ele passou anos fazendo pesquisas nas áreas de química e medicina. Em 1848, ele foi selecionado como professor de química na Universidade de Estrasburgo, onde conheceu sua esposa e se casou com ela um ano depois.

Foi toda essa história de fundo que levaria Pasteur a um caminho de grandes descobertas científicas.

Descoberta de Pasteurização

Pasteur foi nomeado reitor da faculdade de ciências da Universidade de Lille em 1854, onde investigou os problemas em torno da fermentação do álcool. Especificamente, ele trabalhou em estreita colaboração com uma destilaria local.

Como você pode imaginar, esse foi o primeiro passo de Pasteur no caminho para estudar e obter uma compreensão mais profunda do processo de fermentação. O famoso químico começou a investigar quase tudo que envolve o processo de fermentação, como a produção de ácido lático.

Em 1857, ele voltou a exercer a função de professor em Paris, onde apresentou evidências experimentais que demonstravam que organismos vivos estavam envolvidos no processo de fermentação. Ele conseguiu até demonstrar como cada organismo específico afetava cada processo de fermentação. Sua evidência apresentada em 1857 viria a ser a base da teoria dos germes.

Essa descoberta de organismos específicos envolvidos na fermentação levou Pasteur à descoberta de que a fermentação poderia ser interrompida pela passagem de ar, ou melhor, oxigênio, por um líquido em fermentação. Esse processo agora é conhecido como efeito Pasteur.

Pasteur deduziu que, como o oxigênio era o fator decisivo para interromper a fermentação, o micróbio responsável pelo processo só deveria ser capaz de funcionar em uma zona sem oxigênio. Isso impecavelmente levou à introdução dos termos aeróbio e anaeróbio para descrever a relação dos organismos com a presença de oxigênio.

À medida que o químico avançava no domínio da fermentação, ele fez outras descobertas importantes na indústria têxtil.

Pasteur salvou a indústria da seda

Em 1865, Pasteur conseguiu provar que os micróbios estavam atacando os ovos do bicho-da-seda dos fabricantes de seda. Foi demonstrado que esses micróbios causam uma doença, que poderia ser eliminada se os micróbios fossem então eliminados.

Para contextualizar, antes de 1965, essa doença estava causando estragos na indústria do bicho-da-seda na Europa, até mesmo se espalhando para a China e o Japão. Quando Pasteur finalmente descobriu a causa raiz, a indústria do bicho-da-seda estava vacilando em toda a Europa e Ásia.

Um efeito colateral da pesquisa de Pasteur sobre o assunto foi que ele se tornou um criador de bichos-da-seda, talvez um dos mais importantes em todo o mundo.

Sua solução definitiva para erradicar a doença foi a prevenção. Ele desenvolveu um processo que evitou que novos ovos de bicho-da-seda fossem contaminados por organismos causadores de doenças. Após vários anos de implantação, a doença foi praticamente erradicada e hoje é um padrão no setor.

Descobertas médicas

Em 1879, Louis Pasteur fez sua primeira descoberta no campo das vacinas, especialmente uma para a doença "cólera das galinhas". Enquanto trabalhava perto das galinhas, ele acidentalmente as expôs a uma forma de cultura de baixa potência e viu que elas se tornaram resistentes ao vírus real. Foi esse "acidente" que levou Pasteur a promover suas próprias idéias sobre a teoria dos germes e ajudar a desenvolver vacinas para outras doenças.

Antraz

Após essa primeira investida em vacinas e pesquisas medicinais, ele concentrou seus esforços no estudo do antraz, uma doença que matou muitas ovelhas e humanos em toda a Europa. Pasteur acreditava que seu conceito de vacinação também poderia ser aplicado ao antraz.

Ele desenvolveu uma cultura de antraz de menor potência, atenuada e, após uma rodada de apoio financeiro inicial, entregou a cultura a 70 animais de fazenda. Esses animais provaram ser imunes ao antraz e o experimento foi um grande sucesso.

Após sua descoberta bem-sucedida da vacina contra o antraz, ele começou a investigar mais os micróbios patogênicos, acabando por se tornar pioneiro no campo da patologia infecciosa. Depois de toda essa pesquisa, agora se diz que Pasteur inventou as vacinas.

Depois de todo esse sucesso para o cientista, ele queria vencer um último grande obstáculo: Raiva.

Raiva

Pasteur começou a concentrar seus esforços de pesquisa médica na Raiva em 1882. Ele começou a infectar diferentes animais com raiva, tentando encontrar uma maneira de atenuar os micróbios para criar uma vacina ativa, como ele havia feito no passado. O que acabou acontecendo foi que Pasteur criou uma forma inativa da doença, embora não soubesse disso na época. Em essência, Louis Pasteur havia descoberto vacinas inativas, mas não tinha conhecimento disso na época.

Em 1885, ele vacinou com sucesso um menino de 9 anos que havia sido mordido e infectado por um cão raivoso. Como você pode imaginar, essa cura milagrosa trouxe fama quase instantânea a Pasteur. Isso deu início a um empreendimento de arrecadação de fundos para criar o Instituto Pasteur em Paris.

Como ele descobriu tanto

Como você provavelmente pode perceber depois de ler sobre tudo o que Pasteur realizou em sua vida, as descobertas feitas em suas mãos foram vastas.

Ele foi citado como tendo dito "Não existem coisas como ciência pura e aplicada; há apenas ciência e a aplicação da ciência."

Esta citação resume por que Pasteur foi capaz de descobrir tantas coisas. Depois de fazer uma descoberta inicial, ele tentaria determinar novas maneiras de aplicar essa descoberta ao mundo ao seu redor.

Pasteur viveria uma vida repleta de descobertas e realizações até falecer em 1895, aos 72 anos. Seus restos mortais agora são mantidos no Instituto Pasteur em Paris, França.


Assista o vídeo: AGENTE FÍSICO E QUÍMICOS: PASTEURIZAÇÃO E DESINFECÇÃO (Novembro 2021).