Em formação

Rede subterrânea de fungos mapeada pela primeira vez

Rede subterrânea de fungos mapeada pela primeira vez

Debaixo de cada grupo de árvores e florestas há uma rede complexa de bactérias, fungos e raízes que as plantas usam para se comunicar e apoiar umas às outras. Esta incrível web foi carinhosamente apelidada de ‘wood wide web’. Em uma inovação mundial, os pesquisadores criaram um mapa deste mundo subterrâneo secreto.

RELACIONADO: O SEGREDO PARA A DIVERSIDADE DA FLORESTA TROPICAL ESTÁ EM FUNGOS DE MATANÇA DE SEMENTES

Cientistas do Crowther Lab da ETH Zurique, na Suíça, e da Universidade de Stanford nos EUA, usaram o banco de dados da Global Forest Initiative e o aprendizado de máquina para criar modelos da rede. O banco de dados do GFI inclui mais de 1,2 milhão de parcelas de árvores florestais com 28.000 espécies, de mais de 70 países.

Efeitos da mudança climática claros

“É a primeira vez que conseguimos entender o mundo sob nossos pés, mas em uma escala global”, disse o professor Thomas Crowther, um dos autores do relatório à BBC. A pesquisa também destaca como as redes micorrízicas são suscetíveis aos efeitos das mudanças climáticas e também como podem ser uma ferramenta para ajudar a entender o que está acontecendo com as plantas enquanto o planeta aquece.

"O que descobrimos é que certos tipos de microrganismos vivem em certas partes do mundo e, ao compreendermos que podemos descobrir como restaurar diferentes tipos de ecossistemas e também como o clima está mudando", explica Crowther. Os fungos micorrízicos formam um simbiótico relacionamento com as plantas.

Tipos de fungos mudam com a temperatura

Existem dois tipos principais: os fungos arbusculares (MA) que penetram nas raízes do hospedeiro e os fungos ectomicorrízicos (EM) que circundam as raízes da árvore sem penetrá-las. Os fungos EM são encontrados com mais frequência em sistemas temperados e boreais. Esses fungos são mais suscetíveis às mudanças climáticas, mas desempenham um papel importante em ajudar a reter carbono da atmosfera.

Os fungos AM são encontrados mais comumente nos trópicos e promovem a rápida ciclagem do carbono. A pesquisa mostra que atualmente cerca de 60% das árvores do mundo estão conectadas a fungos EM, mas com o aumento da temperatura global esses fungos e suas árvores morrerão e serão substituídos por mais espécies tropicais e fungos AM. Este é um problema, pois cada vez menos carbono será armazenado pelo sistema de árvores e fungos.

ONU preparada para plantar um trilhão de árvores

Os cientistas estimam que, se não houver uma redução global nas emissões de carbono até 2100, pode haver uma redução de até 10% no EM. Isso, em combinação com outras pesquisas recentes sobre redes micorrízicas, servirá como base para a campanha de trilhões de árvores da ONU.

A pesquisa ajudará a ONU a ditar quais espécies de árvores devem ser plantadas lá para garantir que a quantidade máxima de rede micorrízica seja gerada. O projeto ajudará a garantir que o carbono continue a ser bloqueado no subsolo. Compreender as complexidades das florestas e seus fungos associados são essenciais para que isso aconteça.


Assista o vídeo: Sistema de humidade para produção de cogumelos (Janeiro 2022).